Emprego

Jovens apostam no serviço público para seguir carreira

Publicada em 13 de Fevereiro de 2017 ás 18:03:32
Alexandra Martins/Secom UnB


 Com salários atrativos e garantia de estabilidade, o concurso público é o sonho de, pelo menos, 10 milhões de brasileiros. De acordo com a Pesquisa Nacional de Amostragem de Domicílioso (Pnad), esse era o número de pessoas que estavam inscritas em cursinhos preparatórios ou estudando em casa, no ano passado, para conseguir uma aprovação.

O serviço público é um setor da economia que contempla os mais diversos tipos de ocupação e regimes de trabalho. Por isso, quem acabou de ingressar na graduação, precisa avaliar com cautela na hora de decidir pela carreira pública.

“A rotina, o objeto e as atividades de trabalho de um juiz são totalmente diferentes das de um professor da escola pública, por exemplo. Assim, o estudante que decidir atuar no setor público, precisa escolher a área em quer trabalhar, as funções que gostaria de exercer e se informar sobre rotinas, atividades, ambiente e conteúdos do trabalho, além dos retornos que espera ter com sua atividade profissional”, explica Tatiana Ferrentini, gestora da área de Carreira da graduação da ESPM.

Outro atrativo do serviço público é o estímulo para dar continuidade aos estudos, como licença para capacitação e acréscimo na remuneração previamente definidos de acordo com o grau de instrução. Também há previsão de licença na ocorrência de problemas pessoais e, em alguns casos, férias mais longas do que os 30 dias da iniciativa privada. Algumas áreas também têm planos de carreira bastante estruturados. 

Além dos concursos, também é possível atuar no serviço público por meio de estágio, contratação CLT realizada por organizações privadas que prestam serviço para órgãos públicos e cargos comissionados. A experiência durante a graduação nessa área é uma das opções para quem quer conhecer melhor o trabalho em um órgão do governo.

“O período da graduação é um momento para experimentações, ‘degustar’ o curso e suas possibilidades de atuação. É comum que uma definição mais clara sobre sua trajetória profissional venha a partir da metade do curso, mas não há uma regra sobre isso. Deve-se considerar também que esta decisão poderá sofrer modificações ao longo da graduação e da vida profissional”, aconselha Omar Calazans, consultor de carreiras da graduação da ESPM.

Carreira

Formada em publicidade e propaganda, Loiany Galeno, 24 anos, optou por se dedicar aos concursos para conseguir um trabalho onde faça o que gosta e ainda tenha tempo para as atividades pessoais.

Em 2016,  ela consegui aprovação no concurso de Papiloscopista da Polícia Civil do Distrito Federal. O curso de formação teve fim no segundo semestre do ano passado e agora ela aguarda o Governo do Distrito Federal divulgar cronograma de nomeações.

Para quem está interessado em seguir o mesmo caminho que Loiany, ela alerta que é preciso ser paciente e ter muita dedicação e persistência.

“É um caminho difícil. Às vezes, dá um desespero porque a aprovação parece que nunca vai chegar. O que eu posso recomendar é: se planeje, estude, tenha humildade pra pedir ajuda e tenha sempre perto de você pessoas que acreditem no seu sonho e te deem forças. Falhar ao longo do caminho é completamente normal. É importante ter inteligência emocional pra lidar com os resultados que você não esperava e, mesmo assim, continuar estudando.”

Quanto antes o estudante começar a pensar sobre a sua carreira, melhor. No caso dos concursos, é preciso ficar atento aos editais, conhecer bem as regras e ter disciplina e foco para estudar. 

 

Fonte/Autor: Diario News Bahia

Comentários

Diário News Bahia - Direitos reservados
E-mail: contato@diarionewsbahia.com.br