Saúde - Diário News Bahia

Entrevistas

'O movimento feminista no Brasil é o mais organizado da América Latina'


Turismo

Destinos saborosos do chocolate brasileiro


Saúde

Começa em Salvador campanha nacional para diagnóstico da Hanseníase
A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) realizou treinamento com voluntários da campanha na busca ativa de hanseníase e tratamento preventivo de verminose em jovens de 5 a 14 anos. A capacitação teve como principal objetivo preparar os profissionais para a Campanha Nacional Hanseníase e Geohelmintíases, que será iniciada na segunda-feira (22). A enfermeira Helena Ribeiro, que faz parte do campo temático da Hanseníase na SMS, foi uma das palestrantes do evento. A profissional afirmou que os voluntários, alunos de enfermagem de três faculdades do município, vão trabalhar nos 140 postos de saúde dos 12 distritos sanitários da cidade, acompanhados pelas referências distritais para desenvolver ações da campanha. “Foram apresentadas a patologia da doença e a rotina da campanha, o que será desenvolvido na comunidade e nos distritos. A partir de segunda-feira (22), eles vão entrar em campo, visitando as escolas para buscar manchas suspeitas de hanseníase nas crianças”. Hoje, a SMS trabalha com uma média de 390 escolas e 107 mil alunos. Eloísa Bastos, do setor de Vigilância Epidemiológica do Agravo da Hanseníase, explicou que a hanseníase é uma doença que é um problema de saúde pública e que, em termos mundiais, o Brasil está em 2º lugar no ranking de casos. “Salvador, enquanto capital, também apresenta indicadores altos. De 2010 a 2015, foram apresentadas taxas de detecção altas”, disse Bastos. Os distritos do Subúrbio Ferroviário, Itapuã e São Caetano / Valéria são os que apresentam um maior número de casos registrados, de acordo com a servidora.

Leia Mais

MPF requer afastamento do secretário de Saúde da Bahia por descumprimento de decisão judicial
O Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA) requereu, nesta sexta-feira, 19 de agosto, o afastamento do secretário de Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas Boas Pinto, por não atender a decisão da Justiça Federal. Pinto deveria apresentar dados de aquisição e executar ações que viabilizassem a distribuição de análogos de insulina no interior do estado, sob pena de multa diária de R$500, mas não se manifestou até o momento. O requerimento faz parte de processo aberto a partir de ação do MPF contra o Estado da Bahia e União, em 2012, visando à implantação de protocolo clínico e o fornecimento de insulina de ação basal ultrarrápida aos pacientes com diabetes mellitus na Bahia. Em agosto de 2012, a Justiça Federal expediu medida liminar determinando ao estado a implantação do protocolo, e à União o repasse dos recursos para aquisição dos medicamentos. Apesar de estabelecer o protocolo, o estado da Bahia concentrou o fornecimento da insulina no Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia, em Salvador, sem o devido alcance aos usuários residentes no interior do estado. Segundo o MPF, a ausência da insulina tem causado graves problemas aos pacientes que moram fora de Salvador e que dependem do uso da substância, ocasionando, inclusive, casos fatais. A pedido do órgão, em outubro de 2013, a Justiça aplicou multa diária de R$50 ao estado pelo descumprimento da liminar em relação à distribuição da insulina no interior e ao encaminhamento de dados sobre os medicamentos adquiridos à União. Em outubro de 2014, nova decisão aumentou a multa para R$1 mil por dia, mas, até o momento, a medida não foi cumprida, e os agentes públicos intimados para prestar informações não se manifestaram.

Leia Mais

Portal Brasil
Pesquisadores desenvolvem estratégia para impedir reprodução do HIV
Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) desenvolveram uma estratégia que utiliza nanopartículas carregadas de produtos químicos para atrair os vírus, impedindo a ligação às células infectadas e a conexão a receptores da membrana celular. Sem isso, os vírus não conseguem se reproduzir no organismo.

Leia Mais

Carol_Garcia_GOVBA
Mutirão de Cirurgias vai realizar 13 mil procedimentos na Bahia
O Governo do Estado dará mais um importante passo para assegurar a qualidade de vida dos baianos com o Mutirão de Cirurgias, projeto vinculado ao já consagrado Saúde sem Fronteiras, executado pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). A ação, que inicia os procedimentos pré-operatórios já em setembro, tem como meta atender gratuitamente 13 mil pessoas em um ano e reduzir a fila de espera para a realização de seis procedimentos médicos - cirurgias de vesícula, câncer de próstata, hérnia, útero, miomas e câncer de mama. O lançamento do projeto será nesta segunda-feira (15), no Senai-Cimatec, em Salvador, e deve contar com a presença dos secretários de saúde de todas as cidades baianas. Caberá a esses gestores a atualização do cadastro único de pacientes atendidos pela rede de saúde dos 417 municípios do estado. A partir dessa lista, o Governo convocará os pacientes para realizar os procedimentos necessários à realização da cirurgia. “Sozinhos, os Municípios não podem dar conta de todos os problemas de saúde. Estamos substituindo essa forma de pensar pela tese de que unidos podemos fazer mais e melhor”, afirmou o governador Rui Costa. Ele destacou que a implantação de policlínicas e a reforma e construção de hospitais da rede estadual reforçam a atuação do Estado no interior. “Estamos levando a saúde para mais perto dos baianos. O Mutirão é mais uma maneira de estar perto de quem mais precisa”, concluiu Rui. As cirurgias eletivas já acontecem na Bahia desde de 2012, com mais de 400 procedimentos na tabela, mas “em razão da grande demanda em todo o estado, percebeu-se a necessidade de o governo ser ainda mais atuante, utilizando hospitais públicos e contratados para dar vazão aos procedimentos de maior procura”, explicou o secretário Estadual da Saúde (Sesab), Fábio Vilas-Boas.

Leia Mais

Homem procura menos serviço de saúde porque trabalha mais, diz ministro
Ministro da Saúde, Ricardo Barros
O ministro da Saúde, Ricardo Barros, gerou mais uma polêmica, nesta quinta-feira (11), ao dizer que os homens procuram menos os serviços de saúde porque trabalham mais que as mulheres. “É uma questão de hábito, de cultura. Até porque os homens trabalham mais, são os provedores da maioria das famílias. Eles não acham tempo para se dedicar à saúde preventiva”. A declaração foi dada logo após entrevista coletiva convocada para divulgar pesquisa sobre a frequência com que homens procuram serviços públicos de saúde no país. Os dados mostram que quase um terço deles não tem o hábito de frequentar o serviço para acompanhar seu estado de saúde e buscar auxílio na prevenção de doenças e na qualidade de vida. O levantamento divulgado nesta quinta-feira pelo Ministério da Saúde mostra que as barreiras socioculturais interferem na prevenção à saúde e que, em muitos casos, os homens pensam que não ficam doentes ou têm medo de descobrir alguma alteração no organismo. “É realmente uma cultura que precisa ser modificada. Quem precisa acha o tempo. Nós queremos estimular os homens a fazer saúde preventiva. Sete anos de expectativa de vida de diferença entre homens e mulheres é muito. Precisamos reduzir isso”, acrescentou Barros, ao se referir aos 71 anos de expectativa de vida entre homens brasileiros contra os 78 anos entre as mulheres. A pesquisa foi feita por telefone em 2015 com mais de 6 mil homens cujas parceiras fizeram parto no Sistema Único de Saúde (SUS). O estudo mostrou que, apesar de o pré-natal da parceira ser o momento em que o homem está mais próximo dos serviços de saúde, as consultas e os exames ainda são pouco aproveitado pelos profissionais. A maioria dos homens (80%) disse que acompanha a parceira nas consultas, mas 56% afirmaram que o atendimento teve foco apenas nas orientações à gestante.

Leia Mais

PPP renova aparelhos de Diagnóstico por Imagem da Bahia
A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), em parceria com a Rede Brasileira de Diagnóstico (RBD), está renovando o parque tecnológico das unidades de imagem da Parceria Pública Privada (PPP) com aparelhos modernos e de tecnologia avançada. Na primeira unidade inaugurada pela PPP, no Centro Estadual de Oncologia (Cican), há um tomógrafo, cinco mamógrafos, sendo dois digitais e quatro preparados para realizar estereotaxia (coleta de material para biópsia), um aparelho de raios-x e dois equipamentos de digitalização de imagens (CRs). Já a nova sala de raios-x do Hospital Ernesto Simões Filho passou a contar com dois aparelhos de raios-x e um CR. No Hospital Geral de Vitória da Conquista, o tomógrafo será de 64 canais, e outro de 128 canais será instalado no Hospital Geral Roberto Santos. Segundo o diretor médico da RBD, Gustavo Balthazar, os tomógrafos serão todos multislice (múltiplos canais), sendo, no mínimo, de 16 canais. “Esses equipamentos proporcionam exames mais rápidos e com maior nitidez. É possível fazer reconstruções em outros planos, inclusive, reconstruções em 3D, ajudando o médico na tomada de decisão e na realização de cirurgias”, explicou Balthazar. Para o paciente, a tecnologia representa rapidez, maior segurança nos resultados, doses de radiação melhor controladas e menos tempo no hospital. O diretor médico informou que os novos mamógrafos adquiridos produzem resultado com mais nitidez, evitando procedimentos desnecessários e invasivos. Quanto às ressonâncias magnéticas, todas serão de alto campo (1,5 tesla) com um software capaz de fazer as sequências de imagens mais básicas às mais avançadas, como espectroscopia e perfusão. “Tudo isso é muito importante no diagnóstico de tumores. Com essas tecnologias mais avançadas, temos diagnósticos mais precisos”, comentou Balthazar.

Leia Mais

Atividades da UPA de Roma serão retomadas no dia 5 de agosto
A Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) informa que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Roma deverá retornar às atividades no próximo dia 5 de agosto, e não no dia 31, como previsto inicialmente. O adiamento tornou-se necessário em função da transferência de duas máquinas da central de ar, deixando as áreas de acolhimento da UPA sem climatização, não permitindo o atendimento à população. Conforme orientação já divulgada anteriormente, durante o período em que o atendimento na UPA estiver suspenso, a população deve procurar outras Unidades de Pronto Atendimento existentes na cidade. A suspensão do atendimento na UPA de Roma foi necessária em função da adequação da estrutura física projetada para o Hospital da Mulher, que funcionará no mesmo local.

Leia Mais

Divulgação
Artistas aderem à campanha do HGRS e doam sangue
Pierre Onassis, Falcão (GuigGhetto), Alex Maxx (Swingão do Maxx) e Maylssonn (ex-TheVoice) visitaram, nesta quarta-feira (27), a unidade itinerante (Hemóvel) da Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba) estacionada na área em frente ao Auditório Central do Hospital Geral Roberto Santos (HGRS), no bairro do Cabula, em Salvador, para incentivar voluntários a doar sangue e realizar o cadastramento voltado à doação de medula óssea. A ação na unidade é resultado da campanha "Amigos do Roberto Santos", que visa garantir as 50 bolsas diárias de sangue que o hospital precisa para funcionar plenamente. Outra unidade móvel se encontra no pátio da Companhia de Processamento de Dados do Estado da Bahia (Prodeb), localizada no Centro Administrativo da Bahia (CAB). Os veículos permanecem nesses locais até esta sexta-feira (29), atendendo das 8 às 17h. No Roberto Santos, além de doarem sangue, os artistas aproveitaram a ocasião para visitar a ala pediátrica da unidade. “Doar é se doar. Toda vez que a gente participa de uma campanha como essa, que tem a finalidade de fortalecer a vida, é um momento muito importante. Essa generosidade tem que partir de nós. É o mínimo que podemos fazer. Por isso, eu aconselho a quem tiver a disponibilidade de doar que venha, doe, traga vida, que é o que o sangue representa”, afirmou o cantor Pierre Onassis. As unidades itinerantes da Hemoba, que desta vez estão no HGRS e na Prodeb, buscam facilitar o dia a dia dos doadores que desejam doar, mas não possuem um ponto de coleta próximo de sua residência. De acordo com a assistente social da Fundação, Mariana Leal, o Hemóvel tem como objetivo aproximar o doador da campanha: “É mais fácil receber a doação estando presente em várias localidades”. Segundo ela, por isso, o objetivo da Fundação “é fidelizar esse doador”, permitindo que, dentro do possível, essa pessoa faça a doação. Homens podem doar a cada dois meses, mulheres a cada três. “A gente só tem sangue se tiver doador”.

Leia Mais

Sarampo está eliminado do Brasil, diz Organização Mundial da Saúde
Após um ano sem o registro de casos de sarampo, a circulação endêmica do vírus da doença foi considerada interrompida no país, conforme informou nesta segunda (26) a Organização Pan-Americana de Saúde/Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS). De acordo com Ministério da Saúde, a expectativa é que, até o fm de 2016, o Brasil receba o certificado de eliminação do sarampo pela OMS. O documento reconhece a eliminação da transmissão da doença em todo o continente americano. A região será a primeira do mundo onde isso acontece. Em 2015, a rubéola também foi considerada eliminada. Os últimos casos de sarampo no país foram registrados em julho do ano passado, em um surto de sarampo no Ceará. Na ocasião, a OpasOMS investiu R$ 1,2 milhão para apoiar os custos de ações para controle do surto e no recrutamento de 165 enfermeiros e auxiliares de enfermagem. Mapeamento Segundo a organização, os profissionais participaram do mapeamento das regiões com maior transmissão de sarampo. A iniciativa permitiu que a vacinação fosse feita tanto em unidades básicas de Saúde quanto nas casas das pessoas que viviam em áreas de maior circulação do vírus causador da doença. O sarampo é normalmente transmitido por meio do ar e do contato direto. O agente infeccioso é um vírus que infecta as membranas mucosas e, em seguida, se espalha por todo o corpo, causando uma doença grave e altamente contagiosa.

Leia Mais

Profissionais do SUS são capacitados para rastreamento precoce de câncer
Duzentos profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS), entre médicos e enfermeiros da atenção básica de Salvador, são capacitados para detecção precoce do câncer de mama. A ação é uma parceria entre a Secretária Municipal da Saúde e a ONG Susan Komen e tem por objetivo a capacitação de profissionais da saúde publica para efetivar o rastreamento do câncer de mama ainda no início. O curso tem duração de 20 horas e prepara os profissionais tanto para realização de ações na promoção de saúde das mamas como para aumentar o conhecimento da própria rede publica, principalmente para realização de exames clínicos, que é o processo inicial do rastreamento desse tipo de câncer. O profissional passa pela capacitação teórica tendo aulas sobre a rede, o rastreamento do câncer de mama na atenção primária e a metodologia do cuidado com os seios proposta pela ONG, bem como a formação técnica do exame clínico. Depois segue para a parte prática.

Leia Mais

Testes da “pílula do câncer” em humanos começam nesta segunda em São Paulo
Os testes clínicos para tratamento de câncer com a fosfoetanolamina sintética, que ficou conhecida como “pílula do câncer”, começam nesta segunda-feira (25) em São Paulo. A pesquisa será conduzida pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp). O início dos testes em humanos será possível após aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Ministério da Saúde. A Fundação para o Remédio Popular (Furp), laboratório oficial da Secretaria de Saúde do estado, forneceu as cápsulas suficientes da substância para realização da pesquisa. “O projeto de pesquisa clínica foi desenhado sob a ótica de especialistas de alto conhecimento técnico. Nossa prioridade é a segurança dos pacientes, por isso, primeiro vamos avaliar, com grande responsabilidade, se a droga é segura e se há evidência de atividade. É um processo extenso, que deve ser acompanhado com cautela”, diz, em nota, o oncologista Paulo Hoff, diretor-geral do Icesp. Segundo a Secretaria de Saúde, o pesquisador aposentado da Universidade de São Paulo (USP) de São Carlos Gilberto Chierice tem acompanhado todo o processo. A fosfoetanolamina sintética foi estudada por Chierice, enquanto ele ainda estava ligado ao Grupo de Química Analítica e Tecnologia de Polímeros da universidade. Algumas pessoas tiveram acesso às cápsulas contendo a substância, produzidas pelo professor, que usaram como medicamento contra o câncer.

Leia Mais

A Tarde
MP cobra alternativas do Município e Estado para hospital filantrópico
A Promotoria de Infância e Juventude do Ministério Público da Bahia (MP-BA) abriu um procedimento para apurar o tamanho da crise financeira enfrentada pelo hospital filantrópico Martagão Gesteira, responsável por atender gratuitamente 22 mil crianças por mês. De acordo com o titular da promotoria Carlos Martel Guanais, que acompanha a área de saúde infantil, documentos que comprovem o rombo fiscal da unidade já foram solicitados à Liga Álvaro Bahia contra a Mortalidade Infantil, que a mantém em funcionamento. Além disso, as secretarias da Saúde do município (SMS) e do estado (Sesab) foram convocadas pela promotoria para uma reunião sobre o tema na próxima quarta-feira, na sede do MP-BA, no Centro Administrativo da Bahia. Conforme antecipou o promotor, os órgãos serão cobrados a apresentar alternativas que supram o cancelamento de alguns serviços do hospital, previsto para acontecer em 12 de agosto, segundo o superintendente da Liga Álvaro Bahia, Antônio Novaes. Entre as estratégias estudadas por Carlos Martel está a judicialização da questão para garantir que o recurso chegue ao filantrópico. Ele diz considerar a possibilidade de pedir, em juízo, o bloqueio de verbas das secretarias da saúde estadual e municipal. "Eles vão ter que dizer como vão suprir a ausência desses serviços, quem vai cuidar dessas crianças", afirmou o promotor. Para ele, a situação da unidade, referência no atendimento de oncologia infantil, é "extremamente preocupante". "Na oncologia, o tempo é precioso, pode significar a perda de um órgão ou de uma vida", diz. A crise investigada pelo promotor pode também ser identificada em números. De acordo com Antônio Novaes, o total de dívidas acumuladas do Martagão Gesteira é de R$ 25 milhões.Todo mês, segundo ele, mais R$ 500 mil são somados ao déficit, por causa do que é chamado de "sub-financiamento do SUS". Em suma, explica o gestor da unidade, os serviços de saúde prestados são remunerados pelo Ministério da Saúde com valores abaixo do custo real.

Leia Mais

Reprodução
Mortes por aids entre adolescentes mais que dobraram desde 2000
Desde o ano 2000, mortes relacionadas à aids mais do que duplicaram entre adolescentes em todo o mundo. A estimativa é que, a cada hora, 29 pessoas de 15 a 19 anos sejam infectadas pelo HIV, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Os números, apresentados durante a 21ª Conferência Internacional sobre Aids, revelam que a doença segue como a segunda causa de morte entre jovens na faixa etária de 10 a 19 anos. De acordo com o relatório, meninas são mais vulneráveis à epidemia de Aids, representando cerca de 65% das novas infecções em adolescentes no mundo. Na África Subsaariana, região onde estão aproximadamente 70% das pessoas que vivem com HIV no planeta, três em cada quatro adolescentes infectados em 2015 eram meninas. O medo de passar pelo exame, segundo o Unicef, faz com que muitos jovens não tenham conhecimento de sua situação – apenas 13% das meninas e 9% dos rapazes foram testados no último ano. Pesquisa conduzida pelo próprio fundo das Nações Unidas em 16 países constatou que 68% dos 52 mil jovens entrevistados não querem fazer o exame por medo de um resultado positivo e por preocupação com estigma social. “Depois de tantas vidas salvas e melhor cuidadas graças à prevenção, tratamento e cuidado; depois de todas as batalhas ganhas contra o preconceito e a ignorância relacionados à doença; depois de todos os maravilhosos marcos alcançados, a Aids permanece como a segunda causa de morte entre jovens de 10 a 19 anos em todo o mundo – e causa número um na África”, destacou o diretor-executivo do Unicef, Anthony Lake.

Leia Mais

Agência Brasil
Patentes impedem redução de preços de tratamento da aids, diz relatório
Teste de HIV/Aids
Relatório divulgado nesta quinta (21) pela organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) mostra que patentes farmacêuticas impedem a redução de preços dos tratamentos modernos de HIV, sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico. Segundo o documento, o preço mais baixo da terapia de resgate é de US$ 1.859 por pessoa ao ano, 18 vezes o preço do tratamento de primeira linha e mais de seis vezes o valor mais barato do que o de segunda linha. A terapia de resgate é destinada a pacientes com HIV que têm sintomas da Síndrome de Imunodeficiência Adquirida (Aids), com infecções oportunistas, por exemplo. O tratamento de primeira linha é o primeiro indicado a quem recebe o diagnóstico de HIV positivo. Já o de segunda linha é para quem não se adaptou ao primeiro. A 18ª edição do relatório do MSF sobre preços de medicamentos para HIV, Untangling the Web of Antiretroviral Price Reductions, foi lançado na Conferência Internacional de Aids, que está sendo realizada em Durban, África do Sul. O documento defende que acordos comerciais e a pressão da indústria farmacêutica para que a Índia, conhecida como “farmácia do mundo em desenvolvimento”, facilite a concessão de patentes, representam grande ameaça ao acesso a medicamentos. Preços em queda De acordo com o documento, os preços de medicamentos mais antigos para HIV continuam caindo, por conta da competição das fabricantes de genéricos, mas os valores dos remédios mais novos continuam fora do alcance da maioria da população. Isso ocorre, em grande parte, “porque as empresas farmacêuticas mantêm monopólios que impedem a competição de medicamentos genéricos”.

Leia Mais

Saúde/BA
Infecções por HIV em adultos voltam a aumentar em algumas regiões do mundo
Novos casos de infecção por HIV em adultos e crianças haviam sido reduzidos em 40% no mundo desde o pico da epidemia de aids em 1997. Relatório divulgado nesta terça (12) pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids revela, entretanto, que, nos últimos cinco anos, os números entre adultos se estagnaram e, em algumas regiões do planeta, voltaram a subir. O documento mostra que, enquanto progressos significativos têm sido alcançados para prevenir novas infecções entre crianças (os casos caíram 70% desde 2001 e permanecem em declínio), o cenário entre adultos é alvo de preocupação por parte das Nações Unidas. A estimativa é que 1,9 milhão de adultos foram infectados pelo HIV anualmente ao longo dos últimos cinco anos. De acordo com o relatório, entre 2010 e 2015 a Europa Oriental e a Ásia Central verificaram aumento de 57% em novas infecções pelo vírus em adultos. O Caribe, após anos de redução no número de casos, identificou aumento de 9%, enquanto no Oriente Médio e Norte da África o aumento chegou a 4% no mesmo período. Na América Latina, os números subiram 2%. Alarme Já na porção central e ocidental da Europa, na América do Norte e na África Central e Ocidental, novas infecções por HIV diminuíram ligeiramente desde 2010. Na África Oriental e Austral, os casos entre adultos caíram 4% e, na Ásia e no Pacífico, 3%. “Não houve redução significativa de novas infecções entre adultos em nenhuma outra parte do mundo”, destacou o Unaids.

Leia Mais

Especiais

'Ainda existe escravidão no Brasil, precisamos acordar para isso'

Buscar




Vídeos

Delator fala sobre caixa dois para o filho de Zé Dirceu

 

Diário News Bahia - Direitos reservados
E-mail: contato@diarionewsbahia.com.br