Saúde - Diário News Bahia

Entrevistas

'O movimento feminista no Brasil é o mais organizado da América Latina'


Turismo

Destinos saborosos do chocolate brasileiro


Saúde

HGE 2 amplia capacidade de atendimento de média e alta complexidade
Instalado em um espaço de 14 mil metros quadrados de área construída, o Hospital Geral do Estado 2 (HGE 2) já surge como parte de um complexo que é referência na saúde do estado para procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade, servindo de suporte para o primeiro atendimento desses pacientes, que continuarão sendo recebidos no HGE 1, e depois encaminhados à nova unidade. Além de expandir a assistência com alas novas, como o Centro de Queimados e uma sala para transplantes, a estrutura, inaugurada nesta segunda-feira (25), pelo governador Rui Costa, vai reduzir o tempo de espera dos pacientes e ainda ampliar a capacidade para casos de vítimas de traumas, como acidentes automobilísticos, perfurocortantes e emergências cirúrgicas. Segundo o governador Rui Costa, o Estado está entregando ao povo da Bahia uma unidade de saúde moderna e atualizada tecnologicamente para atender com mais eficiência os pacientes. "Aplicamos valores históricos na construção de alto padrão com equipamentos de última geração, iguais aos melhores hospitais particulares do País. Passa a funcionar agora o complexo do HGE, e, com essa inauguração, a unidade do HGE 1 começa a passar por modernização, com reformas gradativas nas unidades e setores. Esse hospital faz parte de uma série de investimentos, com os futuros hospitais da Mulher, do Cacau e da Chapada, entregues até o início do próximo ano, além do Hospital Metropolitano, que será construído em Lauro de Freitas", revelou o governador. Ainda de acordo com Rui, o Governo está empenhado para garantir a qualidade dos serviços da saúde em todo o estado. "Tão ou mais importante que o investimento na construção é o custeio, é o quanto se investe na manutenção, operação e o dia a dia no hospital. Mas estamos trabalhando de forma muito determinada para garantir a qualidade e o acesso ao atendimento médico", contou Rui.

Leia Mais

PedroMoraes!GovBa
Após HGE 2, governo entrega mais três hospitais até 2017
Hospital Regional da Costa do Cacau, em Ilhéus, deve ser entregue no início de 2017
Além do Hospital Geral do Estado 2, que será inaugurado nesta segunda-feira (26), o governo estadual vai entregar mais três unidades hospitalares até 2017. Em Salvador, o Hospital da Mulher já está recebendo os equipamentos e será inaugurado até o final de 2016. Já no interior, o Hospital do Cacau, em Ilhéus, e o Hospital da Chapada, em Seabra, serão entregues à população até o final de 2017. “O Hospital da Mulher, no Largo de Roma, será uma referência para o atendimento à mulher na Bahia. O Hospital do Cacau está com as obras quatro meses antecipadas. Vamos melhorar substancialmente o atendimento na região. Além disso, entregarei o Hospital de Seabra, que será o primeiro hospital da Chapada para atender a toda região e está fisicamente pronto, restando a instalação dos equipamentos", afirma o governador Rui Costa.

Leia Mais

Centro de Queimados do HGE 2 será um dos mais modernos do país
“Com o novo hospital, teremos maior capacidade para atender pacientes com traumatismo craniano e raquimedular que são duas condições em que o tempo de espera impacta muito no prognóstico. Teremos ainda um novo centro de queimados, que será um dos mais modernos do país”, afirma o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, sobre Hospital Geral do Estado 2 (HGE 2), em Salvador. A nova unidade será inaugurada na segunda-feira (dia 26), às 9h, pelo governador Rui Costa. No total, foram investidos mais de R$ 90 milhões entre obras e equipamentos, numa estrutura integrada ao antigo HGE, que consolida o complexo como referência estadual no atendimento a vítimas de traumas.

Leia Mais

Hospital estadual em Ribeira do Pombal recebe novo tomógrafo
Com a capacidade de realizar um exame a cada 15 minutos, o novo tomógrafo do Hospital Geral Santa Tereza, no município de Ribeira do Pombal, no nordeste da Bahia, possibilita a ampliação da resolutividade da unidade estadual e a qualificação do diagnóstico dos pacientes. Esta é avaliação do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, que participou, nesta sexta-feira (23), da entrega do equipamento que será referência em exames de alta complexidade para a região. "Estamos trabalhando para garantir que os pacientes sejam diagnosticados e tratados sem sair da sua cidade ou região. Descentralizar o atendimento à saúde é um compromisso do governador Rui Costa e é por isso que o investimento em obras, aquisições de equipamentos e contratações de profissionais por toda a Bahia está acelerado. Esta é uma prioridade do Governo do Estado", afirma o secretário. Outra boa notícia para os moradores da região é que em 2017 começam as obras de reforma do hospital, possibilitando assim o aumento do número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). "Também faremos a transformação dos ambulatórios em uma Unidade de Pronto Atendimento [UPA], consolidando o município como referência para 11 municípios da região", acrescenta Fábio Vilas-Boas.

Leia Mais

James Gathany/Creative Commons
Última etapa dos testes da vacina contra dengue começarão em outubro
A terceira e última etapa da vacina contra a dengue, que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan, começará a ser testada em mais quatro estados brasileiros,. Os ensaios clínicos começarão no dia 5 de outubro em Brasília e Cuiabá e, no dia 19, no Recife e em Belo Horizonte. Até este momento, os testes envolvem 17 mil voluntários em 13 cidades brasileiras. Essa etapa da pesquisa servirá para comprovar a eficácia da vacina. Do total de voluntários, dois terços receberão a vacina e um terço receberá placebo, que é uma substância com as mesmas características da vacina, mas sem os vírus, ou seja, sem efeito.

Leia Mais

Foto: Elói Corrêa/GOVBA
O HGE2 tem 11 salas cirúrgicas e equipamentos de última geração
A estrutura do HGE 2, que já está concluída e com os equipamentos instalados, recebeu uma visita guiada na manhã desta segunda-feira (19). O secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, realizou a apresentação da unidade, que foi aprovada por representantes do Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), Associação Bahiana de Medicina (ABM) e Ministério Público da Bahia, além de entidades de ortopedia, fonoaudiologia e das especialidades de cirurgias, entre outras. O novo hospital, que funcionará integrado ao antigo Hospital Geral do Estado (HGE), possui 161 novos leitos, 11 salas cirúrgicas e equipamentos de última geração. Segundo o presidente da Associação Baiana de Medicina, Robson Moura, a Bahia está recebendo um equipamento de ponta. “Fico feliz porque sou cirurgião de formação, já fui diretor do HGE, e tenho certeza de que o grande beneficiário deste novo prédio, dessa nova estrutura hospitalar, é a população. Poucos hospitais no Brasil têm toda essa estrutura que nós encontramos aqui”. De acordo com Fábio Vilas-Boas, a Bahia receberá o segundo maior complexo hospitalar do estado. "Estamos investindo mais de US$ 200 milhões em novos equipamentos hospitalares, reformas e ampliações em diversas áreas do estado, representando um dos maiores aportes de todos os tempos na área de Saúde”. Ele acrescenta que a visita serve "para que os representantes das entidades possam levar aos seus afiliados o quanto este hospital será importante para a saúde pública do nosso estado”.

Leia Mais

Agência Brasil
Começa hoje campanha Nacional de Multivacinação
Começa hoje (19) a Campanha Nacional de Multivacinação em todo o país, para atualizar a caderneta de vacinação de crianças e adolescentes. O público-alvo da mobilização são crianças menores de 5 anos e crianças e adolescentes de 9 anos a 15 anos. O Dia D de mobilização nacional está marcado para o próximo sábado (24), quando os postos estarão abertos para atender aos que tiverem dificuldades de comparecer em horário comercial. A campanha segue até 30 de setembro em cerca de 36 mil postos fixos em todo o Brasil. Ao todo, 350 mil profissionais participam da ação. O objetivo da ação é combater a ocorrência de doenças imunopreveníveis no país e reduzir os índices de abandono à vacinação – principalmente entre adolescentes.

Leia Mais

reprodução
Organização pede incentivo a pesquisas para doenças negligenciadas
As doenças negligenciadas afetam mais as pessoas pobres
A organização Médicos sem Fronteiras (MSF) divulgou nesta quarta (14) relatório em que faz um apelo aos governos para que alinhem as políticas de pesquisa na área da saúde aos interesses da população. Segundo o documento, as empresas farmacêuticas negligenciam algumas das maiores ameaças à saúde, com por exemplo o aumento de infecções resistentes e o ebola. A tuberculose é outro exemplo, dado pela organização, de doença com lacunas no tratamento. De acordo com o levantamento, nos últimos 50 anos só foram lançados dois medicamentos contra a doença infecciosa que mais mata no mundo, responsável por 1,5 milhão de mortes por ano. O relatório da MSF, Lives on the Edge: Time to Align Medical Research and Development with People’s Health Needs (Vidas no limite: é hora de alinhar pesquisa e desenvolvimento médicos às necessidades de saúde da população), está sendo divulgado às vésperas da Assembleia Geral das Nações Unidas, que ocorrerá na próxima semana e, entre outros assuntos, vai discutir a busca por novos modelos de pesquisas médicas que incentivem a produção de medicamentos com custo mais acessível para doenças negligenciadas. “Tanto em países pobres quanto em países ricos, as pessoas estão descobrindo que os medicamentos de que precisam ou não existem ou são tão caros que elas não podem comprá-los, e os governos precisam resolver esses problemas”, disse em nota Katy Athersuch, assessora para políticas de inovação da Campanha de Acesso da MSF Segundo o levantamento do MSF, os governos não fazem com que as pesquisas financiadas com o dinheiro dos impostos atendam às necessidades de saúde prioritárias. “Governos financiam US$ 70 bilhões, dos US$ 240 bilhões gastos anualmente com pesquisas médicas, mas falham em usar as doses corretas de incentivos e regulação para conseguir os produtos de que precisamos. Em 2014, apenas 16% dos investimentos em pesquisa sobre doenças relacionadas à pobreza vieram de empresas farmacêuticas”, diz o documento.

Leia Mais

Elói Corrêa/GOVBA
Rastreamento do Câncer de Mama chega a mais cinco municípios
O Saúde sem Fronteiras Rastreamento do Câncer de Mama começa a atender, a partir desta segunda-feira (12), à população feminina, na faixa de 50 a 69 anos, de mais cinco municípios baianos - Nova Redenção (até 14), Itapicuru (até 24), Saubara (13 a 17), Utinga (14 a 19) e São Sebastião do Passé (14 a 30). O programa é uma ferramenta de acesso da mulher às ações de prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama. De acordo com a Diretoria de Projetos Estratégicos (Dipro), da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), 7.930 mulheres nos cinco municípios estão dentro da faixa etária preconizada pelo Ministério da Saúde para a realização dos exames de mamografia. As interessadas no atendimento devem apresentar um documento de identidade, Cartão do SUS e comprovante de endereço. O atendimento ocorre das 7 às 18h, nas unidades móveis, equipadas com mamógrafos e equipes especializadas. Para as mulheres com diagnóstico positivo, o tratamento cirúrgico, quimioterápico ou radioterápico será realizado em unidades de alta complexidade em oncologia na região de residência das pacientes.

Leia Mais

Governo sanciona prorrogação do Mais Médicos por mais três anos
O presidente Michel Temer sancionou a lei que prorroga a dispensa de diploma para médicos estrangeiros e brasileiros formados no exterior. A legislação foi aprovada no fim de agosto na Câmara dos Deputados e no Senado, e estende por mais três anos o prazo no âmbito do programa Mais Médicos. Com o texto, profissionais intercambistas que participam do programa continuarão dispensados da validação dos diplomas de medicina e também vão continuar com direito ao visto temporário. Com a sanção, a nova lei será publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (13). A prorrogação provém de uma medida provisória enviada ao Congresso em abril pelo governo federal.

Leia Mais

Alberto Coutinho/GOVBA
Teste rápido de Zika supera expectativas em avaliação de ministério
O teste rápido obteve um dos melhores resultados já registrados para dispositivos do gênero no mundo
Submetido à rigorosa avaliação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), órgão ligado ao Ministério da Saúde, o teste rápido para detecção de Zika vírus da Bahiafarma obteve um dos melhores resultados já registrados para dispositivos do gênero no mundo. O kit do laboratório público baiano registrou índices de 97% de sensibilidade e 96% de especificidade para infecções recentes (IgM) e de 100% de sensibilidade e 98% de especificidade para infecções mais antigas (IgG). “O resultado corrobora a avaliação feita pela Anvisa [Agência Nacional de Vigilência Sanitária], que já havia aprovado o dispositivo, ao publicar o registro para sua produção e distribuição, no fim de maio”, afirma o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias. O secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, destaca que, "com mais essa avaliação positiva, confirmamos nosso compromisso de fornecer ao Sistema Único de Saúde (SUS) e à população produtos de primeira linha para a saúde pública brasileira". Vilas-Boas acrescenta "o compromisso do governador Rui Costa em apoiar o investimento em pesquisa e tecnologia com o parceiro internacional da Bahiafarma, o laboratório coreano Genbody".

Leia Mais

Álcool, refrigerante e fumo matam mais de 8 mi por ano
Chamados por muitos de drogas lícitas, o álcool, o refrigerante e o cigarro matam juntos, todos os anos, cerca de 8,5 milhões de pessoas no mundo. O consumo dessas substâncias está relacionado a diversos tipos de câncer, a doenças cardiovasculares, diabetes e também acidentes de trânsito, no caso do álcool. De acordo com as últimas estatísticas divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, mais de cinco milhões de mortes acontecem todos os anos no mundo causadas pelo hábito de fumar. Os dados incluem os fumantes passivos, aquelas pessoas que apenas respiram a fumaça. A OMS considera o tabagismo uma doença epidêmica e que se assemelha ao uso de drogas como a cocaína. O tabagismo está relacionado a mais de 50 tipos de doenças e pode causar dependência física, psicológica e comportamental. Além disso, o uso de nicotina está relacionado a 30% das mortes por câncer de boca, 90% das mortes por câncer de pulmão, 25% das mortes por doença do coração, 85% das mortes por bronquite e enfisema, e 25% das mortes por derrame cerebral. Assim como o cigarro, todos os derivados do tabaco, como charutos, cachimbos, narguilé e cigarros de palha; aspiração (rapé); e mastigação (fumo-de-rolo), são nocivos à saúde. A última pesquisa do Ministério da Saúde, divulgada em 2014, mostra que 14,7% dos brasileiros são fumantes. Assim como o cigarro, o álcool também é responsável pela morte de milhares de pessoas todos os anos. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), a cada ano, o álcool mata 3,3 milhões de pessoas. O número é maior que as mortes relacionadas a Aids, a tuberculose e a violência juntos. Os dados são de 2015.

Leia Mais

BBC
Poluição pode danificar cérebro e contribuir para Alzheimer
É sabido que ambientes poluídos provocam dificuldades respiratórias, problemas cardíacos e até morte prematura. Agora, um novo estudo traz mais um motivo de alerta: partículas de compostos de ferro oriundas da poluição do trânsito podem chegar ao cérebro. Amostras do cérebro de corpos de pessoas que viveram e morreram na Cidade do México - que é um dos lugares mais poluídos do mundo e onde uma grande nuvem cinzenta paira no ar - foram analisados em um laboratório da Universidade de Lancaster, na Inglaterra. Pequenas demais para serem vistos a olho nu, nanopartículas de um óxido de ferro chamado magnetita foram encontrados nos tecidos cerebrais. As amostras do México foram comparadas com o mesmo tipo de material coletado em Manchester.

Leia Mais

MateusPereira/SecomBA
Bahiafarma produzirá medicamentos contra câncer e anemia falciforme
Em parceria com o laboratório Cristália, a Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma) vai produzir em Vitória da Conquista, sudoeste baiano, fármacos para tratamento de tumores (tamoxifeno e capecitabina) e da doença falciforme (hidroxiureia), a fim de atender à demanda do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país. O acordo prevê a produção de mais de 100 milhões de cápsulas e comprimidos ao ano. O investimento estimado é de R$ 20 milhões na instalação da unidade, que deve gerar cerca de 300 postos diretos de trabalho e ter sua produção também destinada à exportação. O memorando de entendimento para a construção da fábrica foi assinado pela Bahiafarma e pelo laboratório no dia 22 deste mês, durante viagem do governador Rui Costa a Vitória da Conquista. O galpão para instalação da fábrica já foi construído pela administração municipal. "Nossa estimativa é que a unidade esteja funcionando em um ano", afirmou Rui. “A subsidiária da Bahiafarma solucionará definitivamente a demanda dos pacientes com anemia falciforme, visto que o mercado brasileiro sofre com irregularidade no abastecimento do medicamento importado”, explicou o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas. Vilas-Boas ressalta que a Bahia registra a maior incidência da doença no Brasil, por se tratar de uma disfunção que atinge principalmente a população negra. “São mais de quatro mil pessoas cadastradas na Fundação de Hemoterapia e Hematologia da Bahia (Hemoba) com a doença, que deve ser diagnosticada logo após o nascimento, por meio do teste do pezinho. Estima-se que a cada 650 nascidos vivos, um possui a doença e traço falciforme”, disse. Segundo o diretor-presidente da Bahiafarma, Ronaldo Dias, a assinatura do convênio é mais um passo no processo de expansão da Bahiafarma como um centro indutor de um polo industrial farmoquímico e biotecnológico no Estado. “Além de representar a ampliação dessa indústria no estado, a produção desses medicamentos vai significar, para o SUS, sensível redução de custos para sua aquisição”, destacou.

Leia Mais

Especiais

'Ainda existe escravidão no Brasil, precisamos acordar para isso'

Buscar




Vídeos

Delator fala sobre caixa dois para o filho de Zé Dirceu

 

Diário News Bahia - Direitos reservados
E-mail: contato@diarionewsbahia.com.br